Escolha uma Página

O que é transformação Digital

o que é e quais os seus impactos na sociedade

Assine nosso newsletter
“Estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer cser humano tenha experimentado antes”, diz Schwab no livro “A Quarta Revolução Industrial”

Se contextualizamos a necessidade da transformação digital com a história é mais fácil entender o que está acontecendo dentro dos negócios.

Empresas constituídas antes do surgimento da internet enfrentam um grande desafio: muitas das regras que orientavam o progresso dos negócios na era pré-digital não se aplicam mais.

A boa notícia é que a mudança é possível! Essas empresas podem se transformar e florescer na era digital.

Transformação digital é um processo no qual as empresas fazem uso da tecnologia para melhorar o desempenho, aumentar o alcance e garantir resultados melhores. É uma mudança estrutural nas organizações, dando um papel essencial para a tecnologia.

Mas então praticamente todas as empresas estão investindo nisso, certo? Errado! Esse conceito é muito mais amplo do que ter uma fanpage ou um blog corporativo.

Trata-se de uma mudança radical na estrutura das organizações, a partir da qual a tecnologia passa a ter um papel estratégico central, e não apenas uma presença superficial.

Isso leva tempo e consome recursos, mas não são só as grandes organizações que podem implantar programas de transformação digital, até porque isso não se resume a quem tem mais dinheiro.

Antes, é preciso entender o processo todo que leva a essa mudança e trabalhar de forma colaborativa para alcançá-la.

Isso, por si só, torna a transformação digital um desafio muito mais de gestão do que apenas de marketing ou tecnologia.

Entre os fatores que precisamos entender está o impacto desse tipo de mudança na sociedade de forma geral, o que nos leva ao próximo tópico.

Impacto da transformação digital na sociedade

É essencial compreender que a transformação digital tem profundo impacto sobre a sociedade, de maneira geral. A partir dessa conclusão, se torna mais claro o valor de implementar programas de mudança nas empresas.

Mas como esse impacto acontece? É simples, pense em como o uso da tecnologia vem transformando as nossas vidas a cada dia.

As coisas ficaram mais rápidas, o volume de informações é infinitamente maior que antes e não para de aumentar.

Tudo isso faz com que as pessoas estejam mais distraídas e exigentes do que nunca. Essa é a primeira mudança: há uma clara alteração de comportamento.

Além disso, a nossa vida ficou bem “mais fácil”, pois serviços e produtos automatizados oferecem uma comodidade impensada alguns anos atrás.

Pensando do ponto de vista de serviços de utilidade pública, como no caso de hospitais, autoridades policiais e bombeiros, isso significa mais vidas salvas graças à tecnologia.

Por outro lado, surgem desafios novos como transtornos ligados ao não preparo das empresas em relação às reclamações de clientes e o ato de digitalizar sem preocupar com a experiência do usuário ao longo do processo de compra.

Com a evolução da tecnologia, surgem tanto novas soluções quanto problemas que precisam de atenção, o que obriga as empresas a se adaptar para suprir as demandas da sociedade.

É aí que entra a transformação digital! Por meio dela, é possível otimizar vários processos. As possibilidades são ilimitadas.

 

Your content goes here. Edit or remove this text inline or in the module Content settings. You can also style every aspect of this content in the module Design settings and even apply custom CSS to this text in the module Advanced settings.

Futuro e a geração Z

A geração Z é composta por pessoas que nasceram a partir de 1994 e são consideradas nativos digitais. De acordo com a Fast Company, até 2020 a geração Z representará 40% de todos os consumidores.

Essa geração cresceu cercada pelos dispositivos digitais. Portanto, elas serão as pessoas que mais cobrarão essas mudanças. E esse futuro não está distante. Hoje em dia, os mais velhos da geração já estão no mercado de trabalho, formando em faculdades.

Por serem multitarefas e poderem processar informações mais rapidamente do que qualquer geração anterior, os membros dessa geração estão aniquilando práticas de marketing que se tornaram obsoletas.

Eles são capazes de consumir conteúdos digitais em multi telas, usando uma ampla gama de dispositivos de forma simultânea. Além disso, eles já têm poder de compra e esperam que as empresas sejam digitais.

E qual o papel das empresas nesse contexto?

Elas são encarregadas de fornecer às gerações a tecnologia de espaço de trabalho digital que melhorará a experiência dos funcionários, com o objetivo de atender suas diferentes expectativas e preferências.

É preciso pensar na constante mudança do seu cliente para entender a importância da transformação digital.

Transformação digital é um processo no qual as empresas fazem uso da tecnologia para melhorar o desempenho, aumentar o alcance e garantir resultados melhores. É uma mudança estrutural nas organizações dando um papel essencial para a tecnologia.

Você já ouviu falar em transformação digital? Esse termo tem ganhado a atenção de empresas de todos os setores ao redor do mundo.

Mas o que é isso, exatamente? Há quem pense que se trata de um esforço de TI ou que envolve melhorar a experiência do cliente, além de uma infinidade de outras ideias e definições.

Porém, a transformação digital não é um conceito para o futuro, e sim algo pelo qual as empresas de hoje têm de dar o máximo de atenção para continuar vivas.

Por isso, é preciso entender exatamente o que significa essa transformação, qual o seu impacto na sociedade e como aplicá-la nos processos de negócio.

Pensando nisso, elaboramos este guia com tudo que você precisa saber sobre transformação digital. Preparado? Então vamos lá!

Neste post você verá:

  • O que é transformação digital
  • Impacto da transformação digital na sociedade
  • Futuro e a geração Z
  • Progresso tecnológico
  • 6 mitos sobre a transformação digital que você precisa esquecer
  • >Novos modelos da transformação digital
  • 5 domínios da transformação digital
  • Tendências da transformação digital
  • 7 desafios no caminho da transformação digital
  • A jornada para o sucesso: 4 passos que você precisa seguir

Progresso tecnológico

A transformação digital não é só mais uma palavra da moda, um termo bonito para dizer que vale a pena investir em Facebook Ads ou algo do tipo.

Pelo contrário, ela faz parte de um processo muito maior, que é chamado de progresso tecnológico. São três fases principais, sendo a transformação digital a última.

Veja o que consiste em cada uma dessas etapas, e como elas culminam nesse movimento que estamos presenciando atualmente:

Digitização

Digitização é descrita como o processo de transição de informação analógica para uma forma digital. Como assim?

Se trata da representação de sinais, sons, imagens e objetos no meio digital por meio de valores binários (cada valor é representado por 0 ou 1).

Em outras palavras, os dados são transformados em bits e armazenados em dispositivos eletrônicos.

Indústrias inteiras se beneficiaram muito desse processo, pois tornou-se bem mais fácil guardar e proteger informações importantes e, por vezes, confidenciais.

Digitalização

A digitalização já é bem mais abrangente e consiste nas mudanças reais realizadas nas organizações por meio da tecnologia.

Isso inclui alguns conceitos bem avançados, como Big Data, internet das coisas, blockchain, cripto moedas, entre outros.

Um erro comum é acreditar que a digitalização significa usar mais TI, mas os exemplos citados mostram que vai muito além disso, já que envolve uma visão mais holística da tecnologia a fim de causar mudanças.

Transformação digital

Agora chegamos, por fim, à transformação digital, que é descrita no progresso tecnológico como “o efeito total e geral da digitalização na sociedade”. O que isso quer dizer?

Com a digitalização em seu estado completo, novas oportunidades de mudança e evolução surgem para organizações de todo tipo.

É possível — e por vezes necessário — mudar estruturas socioeconômicas, padrões organizacionais, barreiras culturais e até leis.

Dessa forma, podemos dizer que a digitização é a conversão, a digitalização é o processo e a transformação digital o efeito.

6 mitos sobre a transformação digital que você precisa esquecer

Já deu para ter uma noção do quanto a transformação digital impacta a vida das pessoas em todas as esferas da sociedade, não é mesmo?

Consequentemente, isso também afeta profundamente a maneira com que temos de fazer negócios hoje em dia.

O problema é que muitas empresas ainda não conseguem iniciar um programa de transformação porque se prendem a mitos sobre o assunto.

Portanto, antes de apresentar mais sobre essa estratégia, confira 6 desses mitos que você precisa apagar da sua mente agora mesmo e qual a forma correta de pensar sobre cada um deles:

1. Esse assunto é só para empresas de tecnologia

É muito fácil se esconder atrás do pensamento de que a transformação digital só deve acontecer para empresas que já nasceram em um contexto digital, como e-commerces, SaaS e outros negócios “nativos digitais”.

Mas será que esse é mesmo o caso? De jeito nenhum! Qualquer empresa, não importa de que segmento, pode se beneficiar por desenvolver uma cultura que privilegia o digital.

Não é à toa que existem tantas ferramentas, pagas ou gratuitas, disponíveis para praticamente qualquer tipo de iniciativa digital que se consiga imaginar.

2. Tudo se resume a experiência do cliente

Outro mito é de que a transformação digital está resumida em criar a melhor experiência do cliente possível. É verdade que isso realmente importa, mas não basta.

Novamente, vale a pena destacar: a transformação digital é um processo que precisa estar espalhado por toda a empresa, então naturalmente não se resume à experiência do cliente.

3. A transformação vem de iniciativas pequenas

Que tal deixar que as pequenas iniciativas dos colaboradores se desenvolverem a fim de, aos poucos, criar uma organização realmente digital?

Em teoria, essa ideia pode até parecer fazer sentido, mas as coisas não funcionam dessa forma. A transformação precisa vir do topo. Por quê?

Uma mudança tão grande precisa não só de liberdade, mas da iniciativa dos líderes em desenvolver programas claros de mudança e implementá-los nas empresas.

Assim, a empresa poderá mudar de forma organizada e eficiente e os colaboradores entenderão o que se espera deles nessa transição.

4. Quem vai realizar a transformação é o setor de TI

A tecnologia da informação, ou apenas TI, precisa ser muito bem estruturada para garantir o nível de atuação que uma empresa digital precisa.

Porém, entre afirmar isso e dizer que a transformação digital é responsabilidade só da equipe de TI existe um abismo!

O que precisa haver é uma aproximação entre os gestores e quem vai colocar a tecnologia para funcionar, e não uma terceirização de responsabilidades dessa forma.

O setor de TI é apenas um dos envolvidos na transformação digital de qualquer empresa. Mas é importante sim garantir que ele esteja afiado para atender à demanda do dia a dia.

5. É possível esperar para ver, dependendo da indústria

A demanda por inovação é real e urgente em todo o mercado e quem decidir esperar para ver o que acontece provavelmente não vai gostar do cenário que encontrar.

Pense, por exemplo, no agronegócio. Antigamente essa indústria era praticamente sinônimo de atuação livre de processos tecnológicos. Mas o que dizer de hoje?

É um dos setores que fazem melhor uso da tecnologia para prever possíveis dificuldades, otimizar processos e, por conta disso, obter melhores resultados.

Isso mostra que não importa o segmento, arriscado mesmo é adiar essa mudança.

6. Basta desenvolver várias iniciativas digitais

Esse talvez seja o maior engano por parte dos executivos e tomadores de decisão nas empresas.

O pensamento é mais ou menos assim: “se a minha empresa já tem x iniciativas digitais em andamento, já faço parte dessa transformação”.

Quem dera fosse tão fácil, mas a questão é mais profunda que isso.

É ótimo desenvolver estratégias como o marketing de conteúdo  —  que, aliás, tem grande participação na transformação digital  — , mas essas estratégias são apenas parte da solução.

Por isso, continue firme com suas estratégias digitais, mas não caia na ilusão de que elas são a transformação em si.

Novos modelos da transformação digital

Como já foi dito logo acima, os projetos da transformação digital não são somente do profissional de TI. Nesse momento, é necessário que toda a empresa esteja envolvida.

No entanto, a responsabilidade da gestão desse processo precisa vir dos líderes administrativos, como o CEO e o CMO.

A falta de liderança é uma das maiores barreiras para se alcançar a transformação digital. É preciso que essa mudança parta do topo para ser disseminada por meio das decisões estratégicas e processos.

Confira as principais mudanças com as quais você terá que se preocupar quando for fazer a transformação digital do seu negócio:

Cultura empresarial

A transformação digital é sobre a adaptação da cultura do negócio e da maneira como ele opera para trabalhar com as novas tecnologias.

Portanto, uma abordagem centrada nas pessoas é a melhor opção para os projetos de transformação digital, porque são elas que vão colocar esse projeto em prática.

Essa estratégia é algo que fará parte do cotidiano. No entanto, para ter sucesso, é necessário criar uma cultura de forte aprendizado e adaptação da equipe da empresa.

As mudanças na tecnologia são diárias e manter-se atualizado é muito importante para entender ativamente o consumidor digital.

Para isso, faça pesquisas constantes, crie uma rotina de aprendizado e invista em treinamentos para que seja possível estar capacitado nas últimas tendências.

Gestão das empresas

O código de cultura é essencial para o engajamento dos funcionários no novo modelo operacional e isso é preocupação da gestão.

É importante considerar que, ao criar um sistema novo na empresa, é preciso pensar em uma nova gestão e nos novos cargos e funções do time.

Isso acontece porque, na transformação digital, as pessoas estarão no centro da estratégia e não o produto. Com isso, os objetivos e tarefas de times como marketing e vendas não serão muito diferentes e ficarão mais conectados.

Modelo de negócios

Além de afetar a maneira de fazer a gestão das empresas, a estratégia de transformação digital muda o modelo de negócios.

Esse modelo ganha novos contornos quando são incluídas as possibilidades do mundo digital. A sociedade, que está infiltrada na evolução da tecnologia, espera que a empresas mudem a forma de oferecer experiências.

Se, de forma geral, a sociedade é fortemente afetada pela evolução da tecnologia, se torna imperativo mudar a forma de fazer negócios.

Isso acontece principalmente por meio de:

  • crescimento do alcance digital: você atingirá novas pessoas e públicos;
  • ampliação de produtos e serviços: criar recursos digitais para expandir a utilidade de um produto ou serviço físico é algo comum e bem eficiente;
  • transição do físico para o digital: lojas físicas que fecham as portas para dar lugar a e-commerce são exemplos perfeitos dessa transição;
  • produtos digitais desde a concepção: empresas SaaS, apps e fintechs são alguns dos produtos e serviços que já nascem digitais e fazem muito sucesso;
  • serviços compartilhados: hoje em dia existem serviços de carona compartilhada, aluguel de espaços e por aí vai, e isso exige uma integração imensa entre o digital e o físico.

Porém, para alguns, essa mudança pode ser um pesadelo. A organização precisará pensar como seu negócio pode ser transformado tecnologicamente e em quais pontos será preciso trabalhar, seja adaptando seu serviço ou oferecendo uma experiência totalmente digital.

Relação com o cliente

As tecnologias digitais mudaram a maneira como nos conectamos com os clientes e lhes oferecemos valor.
Muitos de nós crescemos em um mundo em que as empresas transmitiram mensagens e forneciam produtos aos clientes.
Hoje, porém, a relação é muito mais interativa, de mão dupla. As mensagens e as avaliações dos clientes faz com que eles sejam muito mais influentes que a propaganda, transformando a participação deles e tornando-a mais dinâmica e crítica para o sucesso das empresas.
Vamos falar mais sobre isso logo abaixo no tópico de domínios da transformação digital.

Processo operacional

Apesar de não ser tão evidente quanto as mudanças na experiência do cliente, também há muitas vantagens em dedicar-se na melhoria de processos operacionais internos.
A sensação de realizar o trabalho de maneira mais simples ou eficiente dá motivação extra, aumenta a produtividade e contribui até para o bom relacionamento de todos.
Para isso, alguns pontos precisam ser observados:
• comunicação mais rápida: quanto mais rápida e ampla a comunicação entre todos na empresa, mais ágeis serão os processos, sem perda de tempo;
• integração de setores: integrar diferentes setores é uma das melhores formas de ampliar o conceito de colaboração e fazer com que todos trabalhem em sintonia;
• transparência organizacional: é muito mais fácil seguir orientações quando se compreende os porquês, e a transparência leva exatamente a isso;
• decisões baseadas em dados: decisões baseadas em dados estão além de discussão, além de ter maiores chances de dar certo. Só o que funciona melhor deve ser mantido;
• acesso das informações: os processos serão automatizados e compartilhados de forma virtual em tempo-real;
• automação de atividades: a equipe não perderá tanto tempo analisando grandes relatórios por se concentrar em atividades mais estratégicas;
• organização: em empresas que são digitais, o processo de trabalho como o home office e o espaço de coworking serão realidades que realmente funcionam;
• acompanhamento de desempenho: com as ferramentas disponíveis no meio online ficará mais fácil analisar o desempenho do time, permitindo que o gestor possa tomar decisões corretas.

Contratação e serviço externo

Quando pensamos em novas funções na empresa, ficamos na dúvida entre contratar pessoas novas, especializar os funcionários já existentes ou terceirizar o serviço.
Como todo o time precisa estar envolvido com o processo, não adianta contratar pessoas novas que tem uma boa experiência, mas não se preocupar com a evolução da sua equipe.
É claro que se houver a necessidade de contratar um especialista, é preciso considerar essa opção. Porém, treinar todos os funcionários e ser bem claro com o objetivo do projeto é essencial.
O ideal é ter um equilíbrio e não desqualificar a sua equipe.

5 domínios da transformação digital

De acordo com o livro “Transformação Digital: repensando o seu negócio para a Era Digital”, de David L. Rogers, especialista em estratégia digital, existem 5 domínios estratégicos em mutação nessa era que fazem com que possamos observar esse novo mundo mais de perto. Eles são os clientes, competição, dados, inovação e valor.
Ao longo desses 5 domínios, as tecnologias digitais estão redefinindo muito dos princípios básicos da estratégia e mudando as regras de como as empresas devem operar no mercado para serem bem-sucedidas.
Muitas das velhas restrições foram superadas e novas possibilidades estão disponíveis agora.
As empresas que se constituíram antes da internet precisam se conscientizar de que muitos dos seus pressupostos fundamentais devem ser atualizados. Vamos aprofundar um pouco sobre cada um desses domínios.

Cliente

O primeiro domínio da transformação digital é o cliente. Isso não é novidade para você, já que mencionei tanto a sua importância durante esse post.
Pela teoria convencional, os clientes eram somente telespectadores aos quais as empresas dirigiam suas propagandas e o modelo de negócio era a produção e comunicação em massa.
Na era digital, estamos avançando para um mundo mais dominado pela rede de clientes.
Nesse paradigma os clientes se conectam e interagem com a marca dinamicamente. Hoje, eles estão o tempo todo se influenciando reciprocamente e construindo a reputação das empresas e marcas.
O uso de ferramentas digitais está mudando a maneira como os consumidores descobrem, avaliam, compram e usam os produtos, e como compartilham, interagem e se mantêm conectados com as empresas.
Isso está forçando as empresas a repensarem seus funis de marketing tradicionais e a reexaminar os caminhos dos clientes para as compras, que podem se alternar entre o uso de redes sociais, mecanismos de busca, laptops ou até mesmo por meio de um chat-online feito por um chatbot.
Em vez de ver os consumidores apenas como alvos de vendas, as empresas precisam reconhecer que os clientes em rede podem ser o melhor grupo de foco, influenciadores e parceiros de inovação em seu negócio.
Por isso, valorize o seu cliente e trate-o da melhor maneira possível!
Aspectos do cliente
Com o aumento da concorrência e o poder de decisão nas mãos do consumidor, a experiência do cliente é fundamental para atrair e fidelizar quem compra de você.
Descubra como trabalhar com eles para oferecer uma experiência cada vez melhor:
• segmentação do público: com base em ferramentas de analytics é possível segmentar o público com base em diversos dados e abordar os leads de forma personalizada;
• monitoramento das redes sociais: saber o que as pessoas pensam da marca é outra forma de conseguir feedback honesto que leva a melhorias na experiência do cliente;
• marketing de precisão: fidelizar quem já é cliente por fazer ofertas únicas, alinhadas com suas respectivas inclinações, é uma tendência que veio para ficar;
• processo de vendas simplificado: o cliente atual não quer complicação, é preciso tirar as barreiras dele para facilitar que chegue até a compra;
• atendimento ao cliente: estratégias como o suporte premium, SAC 2.0 e Customer Success garantem que o cliente tenha todas as necessidades supridas o tempo todo;
• conveniência e identificação: atender em vários canais e ser coerente na linguagem são formas de criar identificação com os clientes sem deixar de lado a conveniência.
User experience
Um bom investimento é o User Experience e design de serviços para saber a percepção dos usuários ao utilizar os seus serviços, pois proporcionar para cada usuário a sensação de que aquele produto foi feito para ele e personalizado de acordo com seus gostos, o que faz com que ele sinta-se mais perto da sua marca.
A experiência do usuário (UX) diz respeito a todas as práticas destinadas a tornar qualquer tipo de ferramenta digital — sites, softwares, aplicativos — mais acessível e adequada para a sua finalidade.
Além disso, recursos estéticos e lúdicos também estão associados a essa atividade, promovendo design a um instrumento de engajamento.
Em meio à transformação digital que vivemos nos dias atuais, o UX design se torna decisivo para o sucesso de uma marca.
Competição
O segundo domínio da transformação digital é a competição.
Está acontecendo algo engraçado em relação a esse aspecto. Tradicionalmente competição e cooperação eram vistas como opostos.
As empresas competiam com empresas rivais muito parecidas com elas mesmas e cooperavam com parceiros da cadeia de fornecimento que distribuíram seus bens ou forneciam os inputs necessários para a sua produção.
Hoje estamos caminhando para um mundo de fronteiras mais fluidas em relação aos setores. Os nossos maiores desafiadores podem ser concorrentes fora do nosso segmento que oferecem valores parecidos.
Essa “desintermediação digital” está virando de ponta cabeça parcerias e cadeias de fornecimento — os nossos parceiros de negócios de longa data podem tornar-se nossos maiores concorrentes se os nossos aliados tradicionais começarem a servir diretamente aos nossos clientes.
O resultado final dessas mudanças é um grande deslocamento do que chamamos de competição.
A batalha é sobre uma disputa de influência entre empresas, com modelos de negócio muito diferentes, cada uma buscando a alavancagem diante ao consumidor final.
Dados
O domínio seguinte da transformação digital são os dados: como as empresas produzem, gerenciam e usam a informação.
Até algum tempo atrás, os dados eram oriundos de pesquisas e pastas físicas armazenadas em grandes armários. Esses dados eram utilizados para previsões, avaliações e tomadas de decisões.
Em contraste, hoje nos deparamos com uma grande quantidade de dados. A maioria dos dados que inunda as empresas não é gerada por qualquer planejamento, como pesquisa de mercado, interações e processos dos clientes com a empresa.
Com as mídias sociais, os dispositivos móveis e canais uma empresa, todos os negócios têm acesso a uma enxurrada de dados não estruturados, que são gerados sem planejamento e que podem ser usados, cada vez mais, para alimentar novas ferramentas analíticas.
Essas ferramentas de big data criam condições para que as empresas façam novos tipos de previsões, descubram padrões inesperados nas atividades de negócios e liberem novas fontes de valor.
Agora, os dados estão se transformando em uma grande vertente para todas as unidades organizacionais e em ativos estratégicos a serem desenvolvidos e explorados ao longo do tempo.
Os dados são componentes fundamentais de como todas as empresas funcionam, se diferenciam nos mercados e geram novo valor.
Já falei um pouco sobre a importância dos dados ao longo do texto, mas se você quiser saber mais sobre como usá-los de uma forma prática leia as tendências da transformação digital no próximo tópico.
Inovação
O quarto domínio da transformação digital é a inovação: o processo pelo qual novas ideias são desenvolvidas, testadas e lançadas no mercado.
Tradicionalmente, a inovação era gerenciada com foco exclusivo no produto acabado. Como os testes de mercado eram difíceis, a maioria das decisões sobre inovação se baseavam em intuição. Porém, o custo do fracasso sempre foi alto, portanto evitá-lo era e ainda é fundamental.
As startups e empresas de tecnologia de hoje possibilitam que a inovação seja encarada de maneira muito diferente, com base no aprendizado contínuo, por experimentação rápida.
À medida que facilitam e aceleram mais do que nunca o teste de ideias, é possível receber feedback do mercado desde o início do processo de inovação, mantendo-o constante até o lançamento e depois.
Essa nova abordagem à inovação se concentra em experimentos cuidadosos e em protótipos de viabilidade mínima, que maximizam o aprendizado ao mesmo tempo que minimizam os custos.
As premissas são testadas sucessivas vezes e as decisões sobre o projeto são tomadas com base em validação pelos clientes reais! Não é um processo mais confiável?
Dessa maneira, os produtos são desenvolvidos por meio de repetições sucessivas, mediante um processo que economiza tempo, reduz o custo financeiro e melhora o aprendizado organizacional.
Valor
O domínio final da transformação digital é o valor que o negócio entrega aos clientes.
Tradicionalmente, a proposta de valor da empresa era considerada duradoura ou quase constante. Os produtos podiam ser atualizados, as campanhas de marketing revigoradas, as operações melhoradas, mas o valor básico oferecido pelo negócio aos clientes era constante e definido pelo setor de atividade.
O negócio de sucesso era aquele que tinha uma proposta de valor clara, que estabelecia alguma diferenciação no mercado e que focava na execução e na entrega da melhor versão da mesma proposta de valor aos clientes, durante vários anos.
Na era digital, confiar em proposta de valor imutável é semear desafios e dar vantagem para concorrentes com propostas de valor mais atraentes.
Embora os setores sejam diferentes entre si quanto ao momento e à natureza de suas transformações impostas pelas novas tecnologias, quem achar que seu momento de mudar está longe será um dos primeiros a sentir o impacto.
A única prevenção segura em um contexto de negócios em mutação é escolher o caminho da evolução constante, considerando todas as tecnologias como maneira de estender e melhorar a proposta de valor aos clientes.
Em vez de esperar para adaptar-se quando a mudança tornar-se questão de vida ou morte, as empresas devem concentrar-se em aproveitar as oportunidades, descartando as fontes ruins de vantagem competitiva e adaptando-se desde agora para se manter na dianteira.
Tendências da transformação digital
O conhecimento das últimas inovações em transformação digital permitirá que as empresas se adaptem às modernas realidades do mercado.
O big data, data-driven, internet das coisas, realidade virtual e aumentada, inteligência artificial, machine learning, business intelligence e automação de marketing são apenas algumas dessas tendências de transformação digital. Vou falar um pouco sobre cada uma delas:
Big data e data-driven marketing
O relatório do McKinsey Global Institute diz que o volume de dados cresce 40% por ano.
Isso acontece devido ao aumento das tecnologias, automação dos dados e acesso de mais pessoas à internet.
Porém, para ter sucesso nessa estratégia é preciso analisar esses dados e transformá-los em um plano de ação, para obter melhores informações e ter uma valiosa vantagem competitiva. É isso que o big data faz!
Além disso, o big data e o data-driven marketing tornam possível que todas as decisões importantes sejam baseadas estritamente em dados e análises.
Portanto, para uma jornada de transformação digital bem-sucedida, você precisará estabelecer novas formas de alavancar e monetizar dados. A análise de dados precisa ser incorporada em todos os canais da sua empresa.
Internet das coisas
A IoT é a conexão de diversas interfaces, além daquelas que já estamos acostumados, como smartphones, tablets e computadores.
Combinando essas interfaces com sistemas automatizados, é possível coletar e analisar informações em tempo real para criar ações de resposta.
Dessa forma, podemos nos concentrar em trabalhar soluções finais, oferecer valor real aos clientes e usar os dados para criar experiências personalizadas.
De acordo com o IDC 2016 Global IoT Decision Maker Survey, 31,4% das organizações pesquisadas lançaram soluções de internet das coisas ou IoT e 43% têm plano de implantá-las nos próximos 12 meses.

Assine nosso Newsletter

Assine e receba notícias, novidades e promoções exclusivas.